segunda-feira, 9 de março de 2015

Resenha: Fazendo meu filme, Paula Pimenta



Sinopse:
Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima.
"Fazendo meu filme" nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades.
via Skoob



Resenha:

        Dentro de encontros e desencontros desse universo paralelo que os adolescentes vivem, Paula Pimenta me apresentou a Fani. Com seu particular gosto por filmes, a garota define sua vida em citações e diálogos de produções que ela guarda com todo o carinho na estante. 

"Uma vez me perguntaram qual era o filme da minha vida. Fiquei um tempão pensando nisso, mas, em vez de responder, entreguei para a pessoa a minha lista de DVDs. Eu não tenho um filme preferido, cada um deles tem uma cena especial, um momento que faz com que eu deseje ser a protagonista, que anseie que minha vida seja tão emocionante e colorida como a delas." 
(Prólogo)

     Não há características particularmente emocionantes na vida de Fani. Ela sente-se deslocada diante dos amigos, por ser mais reservada e gostar de coisas diferentes (não gostar tanto de sair, por exemplo.) Ainda assim, consegue levar uma vida até que comum. Aulas, provas, paixonite pelo professor de biologia, preguiça aguda... 
       Até que algumas coisas ficam diferentes em uma festa em que ela bebe um pouco demais e acaba lembrando um pouco de menos o que fez. Essa festa é o momento que redefine muitas das certezas que Fani tem na vida. Uma delas é a da amizade inocente com Leonardo - que acaba se provando um pouco mais do que isso.
     Um dos pontos cansativos do livro é que a protagonista se comporta teimosamente incrédula, recusando-se a acreditar no Léo como algo mais em sua vida. E isso gera um vai e vem entre os dois que se torna cansativo em certo ponto. Em contrapartida, Fani conquista muitas coisas em relação a estudos. A busca dela pelo programa de intercâmbio, que vem a conseguir posteriormente, prova que um romance não se sustenta somente de uma história de amor. Paula Pimenta atribui um valor a Fani como garota, adolescente, intercambista, e não somente como par romântico de Léo, o que se torna uma das características mais interessantes na leitura, e evita que ela tome um caminho não muito agradável. 
         Em geral, é uma leitura que flui bem e rápida, característicamente teen, com recursos de escrita que a tornam mais visual e portanto, mais atrativa. 

"Hoje sei que nenhum filme é melhor que a vida"
(Epílogo)
            

Um comentário:

  1. Oi Mallú!
    Até hoje li pouquíssimas obras da Paula Pimenta, e morro de vontade de conhecer mais. Esta série está nos meus desejados e adorei conferir sua opinião. Parece ser uma estória apaixonante mesmo, mas que pena a personagem ter deixado cansativo, com sua teimosia.
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir